Hermann Hesse

Hermann Hesse

    Biografia Hermann Hesse

    O publicit√°rio e prosador alem√£o Hermann Hesse √© considerado um introvertido brilhante, e seu romance sobre a busca de si mesmo, Steppenwolf, √© uma biografia da alma. Iya nasceu na Rep√ļblica Tcheca entre os mais importantes a’s 20 zers, uma mulher constantemente ocupada

    Inf√Ęncia e juventude

    Herman insiste na linhagem de padres protestantes. Os ancestrais do padre johannes gese s√£o mission√°rios desde o s√©culo XVIII e crist√£os de pne toss ble. Madre Maria uuuert, francesa napoula√ß√£o, fiula√ß√Ķes geradas, tamb√©m nasceu nesta, e, Nescovel lp vy viiii Na √©poca de seu conhecimento com Johannes, ela j√° era vi√ļva e criou dois filhos.

    Escritor Hermann Hesse

    Hermann nasceu em julho de 1877 na cidade de Calw, Baden-W√ľrttemberg. No total, seis filhos nasceram na fam√≠lia Hesse, mas apenas quatro sobreviveram: Herman teve as irm√£s Adele e Marulla e um irm√£o Hans.

    Os pais estudaram em uma família de constante continuidade da tradição, porque foram enviados para uma escola missionária e depois para uma pensão cristã em Basileia, onde o chefe da família recebeu um cargo em uma escola missionária. Artigos escolares para o diarista alemão l l leistry, especialmente nreyer l l lenn in vro vo com o sesungami do Prêmio Nobel sobre as memórias do futuro.

    “Desde os treze anos, uma coisa ficou clara para mim – ou eu me tornaria um poeta ou nada.”

    Hermann Hesse quando criança

    As inten√ß√Ķes de Hesse n√£o encontraram compreens√£o na fam√≠lia e nas institui√ß√Ķes de ensino que frequentou:

    ‚ÄúEm um instante, trouxe √† tona a li√ß√£o que s√≥ poderia ser tirada da situa√ß√£o: um poeta √© algo que se permite ser, mas n√£o se permite ser.‚ÄĚ

    Herman foi enviado para estudar em uma escola de latim em G√∂ppingen, depois para um semin√°rio teol√≥gico, do qual escapou. Herman trabalhou meio per√≠odo em uma gr√°fica e como aprendiz em uma oficina mec√Ęnica, ajudou seu pai na editora de literatura teol√≥gica e trabalhou em uma f√°brica de rel√≥gios de torre. Finalmente, encontrei algo do meu agrado em uma livraria. Em seu tempo livre, ele se dedicava √† auto-educa√ß√£o, o benef√≠cio de seu av√ī era uma rica biblioteca.

    Hermann Hesse em sua juventude

    De acordo com as mem√≥rias de Hesse, durante quatro anos ele mostrou um zelo invej√°vel no estudo de l√≠nguas, filosofia, literatura mundial e hist√≥ria da arte. Al√©m das ci√™ncias, esgotou muito papel, escrevendo os primeiros trabalhos. Hesse logo passou nos exames exigidos para o curso de gin√°sio e ingressou na Universidade de T√ľbingen como aluno livre.

    ‚ÄúA vida espiritual em geral s√≥ √© poss√≠vel atrav√©s de uma conex√£o constante com o passado, com a hist√≥ria, com a antiguidade e com a antiguidade‚ÄĚ

    mudou-se de um livreiro regular para uma livraria de usados. No entanto, ele trabalhava lá apenas para se sustentar, e abandonou essa ocupação quando veio o sucesso da escrita e a oportunidade de sustentar sua família com taxas.

    Literatura

    A primeira obra liter√°ria da biografia de Hermann Hesse √© o conto “Dois Irm√£os”, escrito por ele aos dez anos de idade para sua irm√£ mais nova.

    Em 1901, o primeiro trabalho s√©rio de Hesse, The Posthumous Writings and Poems of Hermann Lauscher, foi publicado (as op√ß√Ķes de tradu√ß√£o para os t√≠tulos s√£o The Remaining Letters and Poems of Hermann Lauscher, The Works and Poems of Hermann Lauscher, Postumamente Publicado por Hermann Hesse).

    No entanto, a aprova√ß√£o da cr√≠tica e o reconhecimento nos c√≠rculos de leitores, bem como a independ√™ncia financeira, trouxeram o romance “Peter Kamentsind”. O romance recebeu o Pr√™mio Liter√°rio Eduard Bauernfeld, e o escritor recebeu uma oferta da grande editora S. Fischer Verlag para publica√ß√£o priorit√°ria de obras subsequentes. Posteriormente, a editora de Samuel Fischer seria a √ļnica propriet√°ria dos direitos de publicar as obras de Hesse na Alemanha por meio s√©culo.

    Em 1906, Herman escreveu o conto “Sob a Roda”, refletindo, como em obras anteriores, elementos da autobiografia, em particular, o tempo de estudo no semin√°rio. Al√©m disso, o autor de artigos e contos atuou como cr√≠tico e revisor. Um ano depois, Hesse, em colabora√ß√£o com o editor Albert Langen e o amigo e escritor Ludwig Thoma, lan√ßou a revista liter√°ria M√§rz.

    O romance “Gertrude” apareceu em 1910. Um ano depois, Hesse fez uma viagem √† √ćndia, visitou Cingapura, Indon√©sia, Sri Lanka. Ap√≥s seu retorno, o escritor publicou uma cole√ß√£o de poemas e hist√≥rias “Da √ćndia”. O interesse pelas pr√°ticas orientais encontrar√° uma sa√≠da no romance-par√°bola aleg√≥rica ‚ÄúSiddhartha‚ÄĚ, que apareceu alguns anos depois, cujo her√≥i tem certeza de que o conhecimento da verdade n√£o pode ser alcan√ßado pelo ensino, esse objetivo s√≥ pode ser alcan√ßado atrav√©s a pr√≥pria experi√™ncia.

    Em casa, Hesse testemunhou os eventos da Primeira Guerra Mundial, começou a escrever artigos e ensaios anti-guerra e angariar fundos para abrir bibliotecas para prisioneiros de guerra. Segundo os historiadores, o escritor colaborou com ambas as partes em conflito, por isso não é de surpreender que uma campanha de propaganda aberta tenha sido lançada contra Hesse, na imprensa ele foi chamado de covarde e traidor.

    Em protesto, Hermann mudou-se para a Berna Su√≠√ßa e renunciou √† cidadania alem√£. A comunh√£o de ideias e pontos de vista aproximou Hesse do escritor franc√™s, um defensor ativo do pacifismo, Romain Rolland. No mesmo local, terminou o romance “Roskhalde”, outra obra autobiogr√°fica, em que desta vez se tratava de uma crise intrafamiliar em forma√ß√£o.

    A publicação do romance educativo Demian, que descreve os momentos do desenvolvimento social e moral da personalidade do protagonista, foi precedida por acontecimentos trágicos na vida de Hesse: o filho mais velho morreu, depois seu pai, sua esposa acabaram em um hospital psiquiátrico. Das consequências de um grave colapso nervoso, Herman foi curado pelo famoso psicólogo Joseph Lang.

    Influenciado pela psican√°lise junguiana, Hermann Hesse contou no romance n√£o apenas sobre um jovem que voltou da guerra em busca de um lugar na vida, mas escreveu a hist√≥ria de crescimento de um menino que vivia o padr√£o de vida de um burgu√™s e, sob press√£o das circunst√Ęncias, e gra√ßas √† dualidade de sua pr√≥pria personalidade, transformou-se em um homem que se destacou na vida. o n√≠vel de desenvolvimento dos outros. O pr√≥prio Carl Jung se referiu ao romance como “a luz de um farol na noite”.

    O escritor tamb√©m revelou o dualismo do personagem principal do romance Steppenwolf, considerado a etapa mais importante da carreira de escritor de Hesse. O livro marcou o in√≠cio da tend√™ncia dos romances intelectuais na literatura alem√£, e as cita√ß√Ķes do texto s√£o usadas tanto como um chamado √† a√ß√£o quanto como ilustra√ß√£o de uma posi√ß√£o pessoal.

    Uma nova onda de popularidade cobriu Hesse ap√≥s a publica√ß√£o da hist√≥ria “Narciso e Cris√≥stomo” (“Narciso e Goldmund”). A a√ß√£o da obra ocorre na Alemanha medieval, o amor √† vida nela se op√Ķe ao ascetismo, o espiritual – material, racional – emocional.

    A culmina√ß√£o original da obra de Hesse foi The Glass Bead Game, um romance ut√≥pico de orienta√ß√£o s√≥cio-intelectual que deu origem a discuss√Ķes acaloradas e m√ļltiplas interpreta√ß√Ķes. O escritor trabalhou na obra por uma d√©cada e publicou em partes. Um livro completo foi publicado em Zurique no meio da Segunda Guerra Mundial – em 1943. Na terra natal de Hesse, o √ļltimo romance do escritor, anteriormente banido por sua posi√ß√£o antifascista, foi lan√ßado apenas em 1951.

    Vida pessoal

    Hermann Hesse foi casado três vezes. O escritor casou-se com sua primeira esposa, Maria Bernoulli, em 1904, após uma viagem à Itália, na qual Maria acompanhou German como fotógrafa. Maria, ou Mia, como a menina também era chamada, vinha de uma família de famosos matemáticos suíços.

    Sobre os filhos nascidos desse casamento, as informa√ß√Ķes s√£o corriqueiras. Algumas fontes dizem que o filho mais velho, Martin, morreu de meningite ainda adolescente. Ao mesmo tempo, outros falam de Bruno e Heiner, que se tornaram artistas e tiveram uma vida bastante longa, assim como outro Martin, que nasceu em 1911 e se dedicava √† fotografia.

    Ele se divorciou oficialmente de Maria Hesse em 1923, mas seis anos antes disso, uma mulher que sofria de um transtorno mental foi internada em um hospital especializado.

    Hermann Hesse e sua segunda esposa Ruth Wenger

    Em 1924, Herman casou-se pela segunda vez com Ruth Wenger, filha da escritora Lisa Wenger. Ruth era 20 anos mais nova e gostava de cantar e desenhar. Esse casamento durou tr√™s anos, durante os quais, de acordo com as mem√≥rias dos contempor√Ęneos, Frau Hesse preferia a confus√£o com os animais de estima√ß√£o do que as preocupa√ß√Ķes familiares. Ao mesmo tempo, os pais de Wenger o visitavam regularmente, e o escritor logo se sentiu sup√©rfluo em sua pr√≥pria casa.

    Hesse encontrou sua esposa ideal, amante e namorada em sua terceira esposa, Ninon Auslander. O escritor se correspondeu com a mulher por um longo tempo – Ninon acabou sendo um grande f√£ do trabalho de Herman. Mais tarde, ela se casou com o engenheiro Fred Dolbin e conheceu Hesse em 1922, quando ambos os casamentos anteriores fracassaram. Em 1931, o historiador de arte e o escritor formalizaram seu relacionamento.

    Morte

    Ap√≥s a publica√ß√£o de The Glass Bead Game, Hesse limitou-se a publicar hist√≥rias, poemas e artigos. Junto com Ninon, German morava na cidade de Montagnola, sub√ļrbio de Lugano, em uma casa constru√≠da para eles pelos amigos Elsie e Hans Bodmer.

    Em 1962, o escritor foi diagnosticado com leucemia, em agosto do mesmo ano, Hermann Hesse morreu de hemorragia cerebral. Foi sepultado no cemit√©rio de Collina d’Oro.

    Coment√°rios sobre o escritor ¬ęHermann Hesse¬Ľ

    Deixe um coment√°rio

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *