Aleksandr Grin

Aleksandr Grin

Biografia Aleksandr Grin

O famoso escritor russo Alexander Grin apresentou ao mundo do leitor muitas obras diferentes. No entanto, a maioria dos amantes de livros associa o nome dessa pessoa talentosa, cuja vida √© repleta de fatos interessantes, com a encantadora hist√≥ria “Scarlet Sails”, que conta a hist√≥ria de uma garota chamada Assol. A personagem principal do livro conheceu seu amante Arthur Gray, e o enredo deste trabalho sobre f√© inabal√°vel e um sonho sincero tornou-se o pano de fundo para as obras cinematogr√°ficas de diretores famosos.

Inf√Ęncia e juventude

Alexander Grinevsky (nome real do escritor) nasceu em 11 de agosto (23), 1880. A inf√Ęncia do jovem Sasha passou na cidade de Slobodskoy, que agora est√° localizada na regi√£o de Kirov. Green cresceu e foi criado em uma fam√≠lia pouco criativa que n√£o pertencia ao mundo liter√°rio.

Seu pai Stefan Grinevsky, polon√™s de nacionalidade, pertencia √† classe militar da pequena nobreza. Quando Stefan (na R√ļssia ele se chamava Stepan Evseevich) tinha 20 anos, ele se tornou um participante da Revolta de Janeiro, que aconteceu em 1863.

Alexander Green em sua juventude

Por uma devassidão armada nas antigas terras da Commonwealth, que foram para o Império Russo, Grinevsky foi exilado indefinidamente em Kolyvan, província de Tomsk. Em 1868, o jovem foi autorizado a se estabelecer na província de Vyatka.

Em 1873, Grinevsky prop√īs casamento a Anna Lepkova, que trabalhava como enfermeira. O primog√™nito Alexander nasceu para os c√īnjuges somente ap√≥s sete anos de casamento. Mais tarde, os Grinevskys tiveram mais tr√™s filhos: um menino e duas meninas. Os pais de Green o criaram de forma inconsistente. √Äs vezes, o futuro escritor era mimado e, em outras, era punido severamente ou at√© mesmo deixado sem vigil√Ęncia.

Vale ressaltar que o amor de Alexandre pela leitura surgiu em tenra idade. Aos 6 anos, a criança aprendeu a ler: em vez de brincar com os colegas ao ar livre, o menino folheava livros de aventuras. A primeira leitura de Sasha foi a tetralogia As Viagens de Gulliver, de Jonathan Swift, que conta como um certo Lemuel acabou no mundo dos liliputianos.

Além disso, o jovem Green adorava histórias sobre marinheiros destemidos que viajam pelas águas da Terra. Portanto, não é de surpreender que o pequeno sonhador tenha procurado repetir a vida dos heróis literários: Sasha, que sonhava em ir para o mar como marinheiro, tentou fugir de casa.

Em 1889, um menino de nove anos foi enviado para a aula preparat√≥ria de uma escola real. A prop√≥sito, foram os colegas de classe que deram a Sasha o apelido de “Verde”. Vale ressaltar que o autor das obras n√£o era uma crian√ßa obediente: Grinevsky, ao contr√°rio, causou problemas para os professores que notaram que seu comportamento era “pior do que todos os outros”. No entanto, Green conseguiu terminar a aula preparat√≥ria e subir um degrau.

No entanto, sendo um aluno da segunda série, o filho de uma nobreza polonesa foi expulso da escola. O fato é que Sasha, lembrado por seu caráter inquieto, decidiu mostrar seu talento e escreveu um poema sobre professores.

√Č verdade que este trabalho n√£o era uma ode no estilo de Lomonosov: continha conota√ß√Ķes ir√īnicas e era considerado muito ofensivo. Mas em 1892, Grinevsky conseguiu voltar √† escola: gra√ßas ao pai, o jovem foi admitido na Escola Vyatka, que tinha m√° reputa√ß√£o.

Quando o jovem completou 15 anos, um evento terrível aconteceu em sua vida: Alexander Grin perdeu sua mãe, que morreu de tuberculose.

Alguns meses depois, Stepan Grinevsky se casou com Lydia Boretskaya, no entanto, o relacionamento de Sasha com sua madrasta n√£o deu certo, e √© por isso que o cara se estabeleceu separadamente da fam√≠lia de seu pai. O mestre da palavra vivia sozinho, e os livros de aventura salvaram o jovem da atmosfera do provinciano Vyatka, em que reinavam “mentiras, hipocrisia e falsidade”.

A √ļltima foto da vida de Alexander Grin

O futuro prosador passou seis anos vagando. Durante esse tempo, ele conseguiu trabalhar como encadernador, carregador, pescador, ferroviário, escavador e até artista itinerante de circo. Em 1896 ele se formou na Escola Vyatka e foi para Odessa para se tornar um marinheiro, tendo recebido 25 rublos de seu pai. Na nova cidade, Green vagou por algum tempo, não tinha dinheiro para comida.

Quando Alexandre se viu no navio, suas expectativas n√£o coincidiram com a realidade: em vez de deleite, o jovem ficou desgostoso com o trabalho do marinheiro prosaico e brigou com o capit√£o do navio.

Em 1902, devido à extrema necessidade de dinheiro, Alexander Stepanovich entrou ao serviço do soldado. A gravidade da vida de um soldado forçou Grinevsky a desertar: após a reaproximação com os revolucionários, Grin assumiu atividades clandestinas. Em 1903, o jovem foi preso e enviado para a Sibéria por 10 anos. Ele também passou dois anos no exílio de Arkhangelsk e uma vez viveu sob o passaporte de outra pessoa em São Petersburgo.

Literatura

Alexander Stepanovich Green escreveu sua primeira hist√≥ria em 1906: a partir daquele momento, a criatividade conquistou o jovem inteiramente. Seu primeiro trabalho, intitulado “O M√©rito do Soldado Panteleev”, fala sobre as viola√ß√Ķes que est√£o acontecendo no servi√ßo do soldado.

O trabalho de estreia de Green foi publicado sob a assinatura de A. S. G. como um panfleto de propaganda para aqueles que serviam no exército, punindo soldados. Vale a pena notar que toda a tiragem foi confiscada da gráfica e queimada pela polícia. Alexander Stepanovich considerou seu trabalho perdido por toda a vida, mas em 1960 uma cópia da brochura foi encontrada na pasta do Departamento de Evidências Materiais da Gendarmaria de Moscou.

Al√©m disso, da caneta de Alexander Green, apareceu a obra ‚ÄúElephant and Pug‚ÄĚ, que sofreu o mesmo destino. A primeira obra que chegou legalmente √†s livrarias foi o conto “Para a It√°lia”.

A partir de 1908, o escritor come√ßou a publicar cole√ß√Ķes de contos, publicados sob o pseud√īnimo criativo “Green”: o autor compunha cerca de 25 contos por ano, enquanto ganhava um bom dinheiro. Em 1913, os leitores viram as obras de Alexander Stepanovich na forma de um livro de tr√™s volumes.

A cada ano Grinevsky aprimorava suas habilidades: os temas de suas obras se expandiam, as tramas se tornavam profundas e imprevis√≠veis, e o escritor enchia seus livros de cita√ß√Ķes e aforismos que se tornaram amplamente conhecidos entre o povo.

Ilustração para a história de Alexander Grin Scarlet Sails

Vale a pena notar que Grinevsky ocupa um lugar especial no mundo da literatura russa. O fato é que o autor não teve predecessores, nem seguidores, nem imitadores. No entanto, o próprio escritor foi acusado de emprestar enredos de Edgar Allan Poe, Jack London, Hoffmann, Stevenson e outras personalidades criativas. Mas ao analisar os textos, descobriu-se que essa semelhança é muito superficial e infundada.

Al√©m disso, o nome de Alexander Grin √© comparado com o pa√≠s da Groenl√Ęndia. O pr√≥prio autor n√£o usou o nome desse local fict√≠cio em suas obras, foi inventado pelo cr√≠tico sovi√©tico Kornely Zelensky, que assim descreveu os locais de a√ß√£o dos personagens principais dos romances de Green.

Os pesquisadores acreditam que a pen√≠nsula, onde fica o pa√≠s do escritor, esteja localizada na fronteira mar√≠tima do sul da China. Tais conclus√Ķes foram tiradas de refer√™ncias em obras de lugares reais: Nova Zel√Ęndia, Oceano Pac√≠fico, etc.

Em 1916-1922, Green escreveu a hist√≥ria “Scarlet Sails”, que o glorificou. Vale ressaltar que o mestre da caneta dedicou este trabalho √† sua segunda esposa Nina. A ideia do trabalho nasceu espontaneamente na cabe√ßa do escritor: Alexander Stepanovich viu um barco com velas brancas em uma janela com brinquedos.

Em 1928, Alexander Stepanovich lan√ßou seu trabalho significativo, que ele d√° o nome de “Correndo nas Ondas”.

Este romance sobre os cr√≠ticos irrealiz√°veis ‚Äč‚Äče modernos atribu√≠dos ao g√™nero de fantasia. Al√©m disso, Alexander Grin √© familiar para os leitores das obras “Father’s Wrath” (1929), “The Road to Nowhere” (1929) e “The Devil of Orange Waters” (1913).

O √ļltimo romance do escritor chama-se “Touchless”, no entanto, Alexander Grin n√£o teve tempo de terminar este trabalho.

Vida pessoal

Sabe-se da biografia de Green que ele foi batizado de acordo com o rito ortodoxo, embora seu pai fosse um cat√≥lico crente. Apesar do fato de que as vis√Ķes religiosas do escritor come√ßaram a mudar ao longo do tempo, sua esposa observou: enquanto na Crimeia, Grinevsky frequentava a igreja local e adorava especialmente a celebra√ß√£o da P√°scoa.

Alexander Green e sua primeira esposa Vera

Quanto √† sua vida pessoal, o autor dos romances foi casado duas vezes. A primeira esposa foi Vera Pavlovna Abramova, filha de um funcion√°rio rico. Vale ressaltar que na hist√≥ria “Cem milhas ao longo do rio” foi Vera quem se tornou o prot√≥tipo do personagem principal Gelli.

O casamento, que come√ßou em 1908, terminou em div√≥rcio cinco anos depois, por iniciativa de Abramova: a mulher, segundo ela, estava cansada da imprevisibilidade e incontrolabilidade do marido. As frequentes farras de Green tamb√©m n√£o contribu√≠ram para o entendimento m√ļtuo. O pr√≥prio Alexander Stepanovich repetidamente fez tentativas de se reunir. Dedicou v√°rios livros a Vera, em um deles escreveu: “Ao meu √ļnico amigo”. Al√©m disso, at√© o final de sua vida, Green n√£o se separou do retrato de Vera Pavlovna.

Alexander Green e sua segunda esposa Nina

No entanto, em 1921, o jovem se casou com Nina Mironova, com quem viveu o resto de sua vida. O casal vivia feliz e se considerava um presente do destino.

Quando Alexander Stepanovich morreu, Nina Green, ap√≥s a ocupa√ß√£o da Crimeia pelos alem√£es, foi exilada na Alemanha para trabalhar. Ao retornar √† URSS, a mulher foi acusada de trai√ß√£o, ent√£o ela ficou nos campos pelos pr√≥ximos 10 anos. Vale ressaltar que ambos os c√īnjuges de Green n√£o apenas se conheciam, mas tamb√©m eram amigos, apoiavam-se o m√°ximo poss√≠vel durante os dif√≠ceis tempos de ocupa√ß√£o e acampamento.

Morte

Alexander Stepanovich Green morreu no ver√£o de 1932. A causa da morte √© c√Ęncer de est√īmago. O prosador foi enterrado em Stary Krym, e um monumento baseado na obra ‚ÄúRunning on the Waves‚ÄĚ foi erguido em seu t√ļmulo.

Vale a pena notar que após a vitória da União Soviética na Segunda Guerra Mundial, os livros de Green foram reconhecidos como anti-soviéticos e contrários às ideias do proletariado. Somente após a morte de Joseph Stalin, o nome de Green foi reabilitado.

Em memória do romancista, um museu foi aberto em Feodosia, ruas, bibliotecas, ginásios foram nomeados, esculturas foram criadas e muito mais.

Coment√°rios sobre o escritor ¬ęAleksandr Grin¬Ľ

Deixe um coment√°rio

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *